O buraco como coisa perene

 In Arroios, URBANISMO

Junto ao número 12 da Rua Jacinta Marto, a poucos metros da entrada principal do Hospital Dona Estefânia, abriu-se um grande buraco na calçada, nos primeiros dias de Março. Uma cratera, melhor dito. As pedras caíram lá para dentro, como que sugadas pelo sorvedouro da terra que as sustentava. E lixo também. O buraco converteu-se, de imediato, numa armadilha para os peões. Isto numa zona não muito bem iluminada de noite e mesmo ao lado do principal hospital pediátrico do país. A situação prolongou-se e, ante a falta de uma resposta apropriada por parte dos serviços municipais e da Junta Freguesia de São Jorge de Arroios, alguns dias depois, foram lá colocadas umas tábuas. Não se sabe por quem. As semanas passaram e as tábuas que serviam de remendo deram de si. Ou seja, a cratera voltou a ficar escancarada. Com a evidente perigosidade de regresso. E o espanto dos que por ali passam, entre eles alguns turistas. E já lá vai um mês.

buraco 1

O buraco, nos primeiros dias da sua existência, no início de Março

 

Texto e fotografias: Samuel Alemão

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search