Lisboa vai ter paragens e circuitos fixos de autocarros turísticos e zonas de “mini-bus”

 In AMBIENTE, MOBILIDADE, VIDA NA CIDADE

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) prepara-se para estabelecer regras mais duras para os veículos de transporte de turistas, incluindo os tuk tuk e os autocarros, sendo que estes passarão a ter circuitos, paragens e terminais permanentes obrigatórios. Além disso, em algumas zonas, apenas passará a ser permitida a circulação de mini-autocarros, com um comprimento máximo de 11 metros. A medida constará do, há muito aguardado, Regulamento Municipal de Circulação de Veículos Afectos à Actividade de Animação Turística, que deverá entrar em vigor no final deste ano.

 

“Tem aumentado muito o número de autocarros turísticos em Lisboa. Há os autocarros turísticos que têm circuitos pré-definidos, mas também existem os outros que são chamados ocasionais, que não têm qualquer regulação. É um problema e temos que o regular”, admitiu Manuel Salgado, vereador com o pelouro do Planeamento, nesta terça-feira (11 de julho), perante a Assembleia Municipal de Lisboa (AML), quando questionado sobre o assunto por um eleito do Movimento Partido da Terra (MPT).

 

A circulação desregrada de grandes autocarros turísticos tem constituído um problema crescente, nos últimos anos, sobretudo em áreas históricas como a Baixa, a Sé e a zona do Castelo. Tanto que já motivou tomadas de posição críticas tanto de um grupo de moradores da Sé, que recentemente escreveram uma carta a Fernando Medina dando conta da situação vivida na zona, como do presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho (PS).

 

Os incómodos são evidentes: congestionamento viário, dificuldades de estacionamento, poluição sonora e atmosférica, como enorme impacto visual. Mas esses dias estarão próximos do fim, promete Salgado. “O regulamento está a ser finalizado e, como estamos em final de mandato, será submetido à apreciação da câmara para vir à assembleia municipal logo no início do próximo mandato”, assegura o autarca, explicando que as regras se inspiram nas que o Porto colocou em prática a 5 de junho.

 

O documento legal de Lisboa – cuja elaboração teve em conta, sobretudo, as sugestões das empresas do ramo, durante a consulta pública feita no início do ano – deverá acabar com a actual situação de livre circulação. “Será feita uma regulação fixando circuitos, fixando paragens, fixando terminais de paragem permanente. Mas também serão distinguidas zonas onde apenas será possível a circulação de mini-autocarros, com a dimensão máxima de 11 metros, e percursos que podem ser percorridos pelos restantes autocarros”, explicou Manuel Salgado, salientando que o regulamento também incidirá sobre a actividade dos tuk tuk.

 

Texto: Samuel Alemão

 

Recommended Posts
Showing 9 comments
  • Paulo Fonseca
    Responder

    Eu gosto principalmente da parte de “… como estamos em final de mandato, será submetido à apreciação da câmara para vir à assembleia municipal logo no início do próximo mandato…”, especialmente porque isso até parece que os impede de alguma coisa e não é válido para outros assuntos.
    Parece que há medo de mexer no que toca ao Turismo. Money talks!

  • Pedro Baptista
    Responder

    aleluiaaa!

  • Pilar Garrido
    Responder

    Quando controem terminais de cruzeiro com capacidade para 7 barcos o que equivale a 10.000 pessoas num dia querem o que ? Deixam contruir centenas de hoteis como chegam os clientes desses hoteis ? Entao o pessoal vai como ? A voar ? Teletransportado ? Como ? Ouçam quem esta no terreno todos os dias em vez inventar e encontravam facilmente soluçoes logicas e realistas .

    • Paulo Coelho
      Responder

      Nem mais…querem os ovos de ouro e depois não criam condições…ineptos.

  • Paulo Coelho
    Responder

    Em breve vão ser emitidos dois programas de televisão na ZDF alemã sobre estes assuntos…já posso antecipar que nem a Câmara de Lisboa nem o Turismo de Portugal vão ficar muito bem na “fotografia”. Actividades desregradas, fugas ao fisco em massa, alojamento local ilegal, tuc-tucs em excesso e sem formação turistica nem formação para transporte público de passageiros, etc…
    Só para terem uma ideia até um dos operadores câmara dessa estação de televisão foi agredido por um condutor de tuc-tuc tendo partido parte do equipamento quando lhe perguntaram como faz para passar factura…também isso foi filmado.
    Isto já chegou lá fora por queixas de muita gente que nos visita.
    Abram a pestana pois este maná pode acabar bem depressa e de maneira dolorosa quando lá fora tudo isto for exposto.
    Não nos esqueçamos que temos lá fora muitos concorrentes desejosos de obter os turistas que nos visitam.

    • Gaby Andrade
      Responder

      Paulo, sabe quando isso vai ser transmitido na ZDF?

  • São Pinto Da Costa
    Responder

    terminem com os turistas, querem vir pagam €500, por pessoa

  • josé
    Responder

    Sem o turismo o país ia logo à banca rota. E quem fala mal do turismo ou é ignorante ou parvo, como alguns autores de comentários que podemos ler aqui.

  • Ana Rita Francisco
    Responder

    Finalmente

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search